embalagens

Embalagens: um guia completo para melhorar suas vendas online

No trabalho com vendas, é comum o cuidado máximo com as estratégias de atração. O objetivo está em mostrar que o negócio tem qualidade e envolve bons produtos, de modo a despertar o interesse do público-alvo.

Porém, tão importante quanto a etapa de chamar a atenção é encantar quem já comprou na loja virtual ou ponto de venda físico. Nesse momento, as embalagens e suas características podem ter tanta relevância quanto os artigos que carregam em seu interior.

Já parou pra pensar nas inúmeras funções que elas desempenham? Independentemente de você trabalhar em um comércio tradicional ou ganhar dinheiro em casa, precisa se preocupar com o bom aspecto de cada embalagem. Isso trará resultados positivos e pode se tornar um diferencial.

Para saber mais, fique conosco até o fim deste post. Vamos apresentar os motivos pra escolher esses recursos com bastante atenção, tendo como foco as vendas online. Aproveite!

Qual é a importância das embalagens?

O material que envolve um produto para entrega é como um embrulho de presente. Ele esconde o item tão desejado, despertando a curiosidade e gerando muitas expectativas. Por conta disso, deve estar à altura do artigo adquirido pelo consumidor.

Isso não significa que a embalagem precise ser complexa: ela apenas deve cumprir suas funções com êxito pra que valorize a experiência do cliente. Se ele teve um ótimo atendimento durante toda a jornada de compra, ficará satisfeito ao perceber que o momento da entrega seguiu o mesmo padrão.

Proteger a mercadoria

Uma das finalidades mais óbvias das embalagens é evitar que os produtos tenham contato com fatores que possam danificá-los. Isso inclui umidade, poeira, objetos cortantes, sobrecarga e até micro-organismos. Com a barreira proporcionada pelo invólucro, é possível prevenir contaminação e avarias.

Quando a embalagem não está adequada à mercadoria, pode não suportar as agressões ao longo do trajeto. Nesses casos, o risco de o produto chegar quebrado ou com defeito aumenta. E o resultado? Clientes inconformados com o descuido e lojistas sujeitos a lidar com trocas e reclamações.

Causar uma boa impressão

Hoje, muitas pessoas priorizam a compra virtual de diferentes produtos. Embora desfrutem de maior comodidade, esses consumidores não conseguem visualizar a mercadoria de perto. Ou seja, o primeiro contato físico com o artigo vai ocorrer por meio da embalagem.

Ao montar o carrinho e realizar o pagamento, o cliente do e-commerce estará vendo apenas uma foto do item desejado, pela tela do celular ou do computador. É por isso que vale a pena caprichar no envio, cobrindo o produto com um material de qualidade e acabamento impecável.

Entregar embalagens bonitas, funcionais e seguras demonstra que o vendedor se preocupa com a percepção de seus clientes. É uma prática que contribui pra fidelização e pode, inclusive, gerar indicações.

Evitar problemas diversos

Preparar os pacotes corretamente reduz os prejuízos. Pense que uma embalagem reforçada e adequada ao conteúdo interno tem mais condições de chegar bem conservada ao destinatário. Assim, o produto permanece intacto e não precisa ser substituído por outro.

Devoluções e pedidos de troca por conta de estragos geram custos adicionais. Por isso, se você quer minimizar os gastos após a venda em marketplace, precisa investir nos melhores recursos. Seja de plástico ou papelão, o pacote precisa resistir ao transporte e ao armazenamento.

Uma boa forma de prevenir erros é seguir as regras das empresas responsáveis pelo deslocamento das mercadorias até os locais de destino, como transportadoras e os Correios. Cada lugar tem suas orientações e boas práticas de manuseio.

Quais são os principais tipos e tamanhos?

As embalagens são classificadas em várias categorias e podem ser combinadas de diferentes formas. As primárias, por exemplo, são aquelas que mantêm contato direto com os produtos. As secundárias são maiores e costumam proteger a embalagem primária contra as agressões externas.

Também há as terciárias, quartenárias e as de quinto nível. São, respectivamente, modelos usados pra armazenar as secundárias, acondicionar terciárias e acomodar grandes quantidades de pacotes que vão enfrentar trajetos mais longos — os exemplos incluem desde paletes até contêineres.

Quais são os materiais mais usados?

Assim como apresentam tamanhos variados, as embalagens podem ser fabricadas com diferentes matérias-primas. A escolha da melhor opção vai depender das características do produto a ser embrulhado, pois algumas mercadorias são extremamente frágeis e precisam de proteção reforçada.

O pacote pode incluir apenas um material ou a mistura de diferentes tipos. No segundo caso, a intenção é criar uma camada extra contra impactos ou imobilizar o item dentro da embalagem, evitando que balance com o movimento dos veículos ou durante a manipulação pelos funcionários.

Conhecer as aplicações e vantagens de cada material deve fazer parte da sua estratégia de vendas online. Veja um resumo sobre as embalagens mais usadas:

  • plástico — pode ser flexível ou inflexível e permite moldar pacotes em vários formatos, como sacolas, sacos, tubos, entre outros. É muito usado para o envio de roupas, acessórios e apetrechos;
  • papel e papelão — são geralmente empregados pra criar dobras em caixas ou envelopes, bem como na produção de bobinas. São muito versáteis e abrigam desde cosméticos até calçados;
  • madeira — costuma ser usada na fabricação de caixotes pra transportar maiores cargas e itens delicados ou de alto valor, como cerâmicas e televisores;
  • isopor — é leve e suporta bem as vibrações, aparecendo em forma de folhas, bolinhas e caixas pra cobrir. Muita gente usa pra envolver alimentos, objetos de vidro e aparelhos eletrônicos.

Recursos como jornais e plástico-bolha são grandes aliados para acomodar itens em embalagens com muita folga. Eles preenchem os espaços vazios entre o pacote e a mercadoria, reduzindo o atrito interno e a chance de estragos.

É importante ter noção do valor de cada tipo de embalagem e repassar esse custo ao preço de venda do produto. Dessa forma, você não perderá nenhum centavo a mais na comercialização dos artigos, o que favorece o controle de gastos e o equilíbrio financeiro da loja.

Como escolher a embalagem adequada?

Cada loja tem suas particularidades e diferenciais, por isso, é importante planejar bem o envio de produtos. Tenha em mente que aquilo que funciona pra determinado negócio pode não servir a outro estabelecimento, e vice-versa. Se você tem dúvidas sobre a escolha, fique de olho nos principais passos.

Considere o tipo de produto

As características das mercadorias vão orientar a seleção das melhores embalagens. É preciso considerar aspectos variados, como dimensões, peso, composição, acabamento e até o nível de proteção exigido. Faça isso observando todo o mix de produtos, pois cada item vai demandar um cuidado específico.

Quem vende soluções líquidas, como perfumes, precisa encontrar formas de lacrar os recipientes pra que não vazem durante o transporte. Da mesma forma, utensílios pontiagudos devem receber um reforço nas áreas perfurantes, de modo que não ofereçam risco a nenhuma pessoa. Pense nos mínimos detalhes pra organizar as entregas da maneira adequada.

Se informe sobre as normas

A escolha da embalagem também precisa estar baseada nas normas que regulamentam o armazenamento, o transporte e o manuseio das mercadorias. Produtos perecíveis, por exemplo, devem ser acondicionados de modo que fiquem livres do calor e da umidade excessiva.

O vendedor que não procura conhecer as regras pode acabar violando a lei, o que gera desde multas até a perda das mercadorias. Se isso já traz dor de cabeça e prejuízo, saiba que o descuido em relação às normas também deixa os pacotes mais vulneráveis. Você não quer lidar com danos frequentes e custear todas as despesas envolvidas, certo?

Pense no público-alvo

A primeira impressão deve ser positiva. Por isso, tente imaginar formas de surpreender seus clientes a cada compra. Assim como faz pesquisas do seu nicho de mercado pra desenvolver diferenciais, você pode elaborar pacotes atrativos com base no perfil dos consumidores.

Seu público gostaria de receber embalagens ecológicas, de fácil descarte ou customizadas? Será que grande parte dele é composta por jovens que valorizam o fenômeno unboxing — ato de desembalar novos artigos enquanto produz resenhas detalhadas? Reflita sobre o que agrada e encontre a solução perfeita.

Como criar boas embalagens?

Por mais simples que seja, o pacote que abriga os produtos precisa ser desenvolvido com carinho. Nesse momento, se coloque no lugar do cliente e tente entender o que ele gostaria de ver ao receber a embalagem. Nada impede, aliás, que você faça testes e vá aprimorando os modelos ao longo do tempo.

Use materiais de qualidade

Ficou claro que a matéria-prima faz toda a diferença na eficácia da proteção. Assim, tenha cuidado ao definir qual recurso será usado em cada tipo de mercadoria. Além de se preocupar com a estética e a segurança, seja exigente quanto à procedência do material.

Pesquise fornecedores e faça comparativos dos diferenciais apresentados por cada empresa. Também avalie a reputação dessas marcas nas redes sociais e em sites de avaliação, onde é possível conferir depoimentos de outros consumidores. Esse cuidado trará tranquilidade para que o envio de produtos tenha o suporte de bons parceiros.

Inclua informações relevantes

Alguns dados são cruciais pra despachar as mercadorias e garantir que cheguem à cidade de destino. Ainda que cada empresa de transporte tenha suas próprias regras, existem informações que você não pode deixar de lado na preparação das encomendas.

São elas: peso e dimensões do pacote (altura, largura e comprimento) e nota fiscal. Em uma área da embalagem, é preciso fixar os dados do cliente, como nome, CEP e endereço (bairro, logradouro e número). Do outro lado, acrescente as suas informações, identificando-se como remetente.

Os números de telefone, tanto do destinatário quanto do vendedor, não são obrigatórios. Porém, muitas pessoas preferem inserir esse dado pra resolver possíveis pendências com facilidade. Dentro da embalagem, você pode colocar um folheto que indique promoção de vendas e as novidades da loja.

Invista em personalização

As embalagens podem funcionar como ponto de contato entre vendedores e clientes. Hoje, é cada vez mais comum usar práticas que aproximem as marcas de quem consome seus produtos. Um bom exemplo está na escrita de mensagens à mão, fazendo um agradecimento pela compra ou sugerindo formas de uso do item.

Esse tipo de abordagem mostra que o lojista dedicou alguns minutos do seu dia pra mandar um recado exclusivo ao cliente. Outra opção é enviar, junto ao pacote, um pequeno catálogo com outros itens do seu mix de produtos — preferencialmente, com artigos que complementam a mercadoria adquirida.

Como embalar os produtos corretamente?

O profissional ou time responsável pelo preparo dos pedidos deve estar atento aos mínimos detalhes. Se você tem um grupo maior por trás desse trabalho, o ideal é realizar um treinamento básico pra padronizar a montagem de todos os pacotes. Confira abaixo os passos mais importantes.

Preencha os espaços vazios

Antes de tudo, evite usar embalagens muito maiores que os produtos, pois isso deixará grandes vazios a serem ocupados com materiais de proteção. A ideia é evitar ao máximo o excesso de papel, plástico-bolha ou tecido entre a mercadoria e o recipiente que a envolve.

Quando encontrar o tamanho ideal, você precisará de poucos recursos pra preencher o espaço livre. Isso gera economia com materiais e reduz o trabalho. Nas pequenas áreas que sobrarem dentro da caixa ou outro invólucro, é possível colocar isopor ou almofadas de ar.

Faça isso mesmo que o item em questão não pareça frágil, pra evitar que chegue bagunçado dentro da embalagem. Se tem produtos de destaque, compensa arrematar o conjunto com amarrações e laços contendo o nome da loja.

Mantenha as etiquetas visíveis

Os papéis fixados na parte de fora dos pacotes contêm dados essenciais para o sucesso da entrega. Desse modo, tenha sempre o cuidado de fazer a colagem em uma área com pouca dobra ou desnível. A finalidade é evitar que códigos e informações desapareçam em meio a fendas e ondulações.

Em muitos casos, a etiqueta pode até rasgar com mais facilidade se estiver em um local inadequado. O resultado é péssimo, já que os funcionários dos Correios ou das transportadoras terão dificuldade para compreender o conteúdo. Nos sistemas automatizados, a leitura de dados fica comprometida, o que pode gerar atrasos no andamento do pedido.

Coloque avisos importantes

Orientar sobre o manuseio e outras práticas é outro grande potencial da embalagem. Então, aproveite o espaço que sobrar na parte externa do pacote pra colocar recados importantes. Se ele carrega um produto frágil, por exemplo, sinalize essa questão em uma faixa ou impressão direta no material.

Avisos para não pisar, molhar ou colocar o conteúdo de ponta-cabeça ajudam bastante na hora de organizar os pedidos em locais de armazenagem. Por conta deles, os funcionários conseguem adotar as medidas mais adequadas e evitar danos à mercadoria.

O que não pode ser feito?

Falhas podem ocorrer em qualquer etapa do envio, mas é importante estar de olho nas mais comuns pra não repetir erros. Ter cautela com o preparo das embalagens ajuda a aumentar as vendas do marketplace por manter a imagem do seu negócio positiva para os consumidores. Saiba agora o que evitar.

Impressão de má qualidade

Todos os recursos usados pra identificar o pacote precisam estar claros, sem borrões ou trechos desfocados. Isso inclui as cores, imagens e, principalmente, os textos presentes no lado externo da embalagem. Problemas na parte estética costumam ter origem em design de má qualidade.

Se você quer que os produtos cheguem ao local certo, precisa investir em impressão de qualidade, feita por empresas especializadas e com materiais de boa procedência. Mesmo que consigam interpretar as informações, os clientes podem ter uma ideia ruim ao observar um acabamento desleixado.

Dados incompletos ou inadequados

Falta de letras, números e frases são comuns quando a equipe por trás do conteúdo não revisa os textos inclusos dentro ou fora da embalagem. Imagina quão perigoso é enviar dicas de uso inadequadas, confusas ou que possam ser mal compreendidas pelos clientes?

Esses erros na descrição dos produtos podem ser evitados com releituras e atualizações constantes. Da mesma forma, é preciso ter atenção na hora de fixar as etiquetas sobre o pacote. Verifique se, após a colagem, todas as informações ficaram visíveis. Caso contrário, faça a substituição do adesivo.

Embalagens difíceis de abrir

Nenhum extremo é agradável, concorda? Do mesmo modo que ninguém quer receber uma embalagem destruída ou com partes soltas, pode ser angustiante encontrar um pacote repleto de camadas. O problema é que alguns vendedores exageram nas fitas ou amarrações pra proteger a mercadoria.

O ideal é fazer testes antes de preparar os produtos. Assim, fica mais fácil saber quanto material será necessário para cobrir tudo sem dificultar a abertura. Se o processo for muito complexo, o consumidor pode acabar recorrendo a facas, tesouras e outros objetos que danificam o conteúdo interno, além de oferecer risco de ferimento.

O equilíbrio é a chave pra não causar uma experiência ruim aos destinatários. Assim que dobrar as caixas ou sacolas, feche as emendas e ondulações com uma camada de fita larga.

Como decifrar os pictogramas?

Esses códigos são excelentes aliados para prevenir avarias nas encomendas. Você já deve ter visto caixas de produtos que trazem símbolos específicos, em formas curiosas como um guarda-chuva ou uma chama acesa. São figuras apropriadas pra indicar os cuidados necessários com o pacote.

Os pictogramas são mais comuns nas embalagens de papelão, já que costumam ser impressos diretamente nesse material. Também podem aparecer nas etiquetas de sinalização, feitas com matéria-prima de alta qualidade. Em todo caso, é importante que você utilize o pictograma correto em cada caso.

Embora não exista uma regra mundial para a aplicação de símbolos em encomendas, é possível encontrar orientações na NBR 7500. Use essa norma em suas estratégias de venda pra não ter dúvidas. Ela se baseia nas instituições internacionais e abrange vários produtos a serem transportados por via terrestre.

Confira alguns exemplos de símbolos comumente empregados e seus significados:

  • taça — indica item frágil, que é facilmente quebrado;
  • taça com líquido — sugere produto que pode vazar, por isso, não deve ser agitado;
  • setas pra cima ou pra baixo — apontam a posição em que a embalagem deve ficar;
  • corrente — quer dizer que a caixa pode ou deve ser içada, seguindo as fileiras de elos;
  • ímã com bússola — representa mercadorias magnetizantes;
  • setas em triângulo — atestam que o conteúdo interno é reciclável;
  • fogo ou chama — exige cautela por conter artigo inflamável;
  • gancho com X — significa que a encomenda não pode ser perfurada, nem erguida, com gancho;
  • termômetro — traz as temperaturas mínima e máxima às quais o item pode ser submetido;
  • guarda-chuva — mostra que o pacote não deve ser molhado ou guardado em local úmido.

É claro que há outros pictogramas apropriados para diferentes situações. Cabe a você conhecer esses códigos e o que eles representam pra tirar proveito e favorecer a logística.

Por que tomar tantos cuidados?

Danos frequentes, atraso nas entregas e aumento dos custos estão entre as principais consequências do descuido com as embalagens. Ao negligenciar essa importante etapa, você só colabora para a insatisfação do consumidor, que passa a reclamar da experiência e a divulgar o problema.

Você pode até pensar que uma ou outra falha não gera grandes perdas, mas nunca é legal saber que o seu modo de trabalhar prejudicou a rotina de alguém. Seja qual for o valor ou a quantidade de produtos pedidos, tenha sempre o mesmo nível de dedicação pra conquistar a confiança do cliente.

Com o tempo, esse cuidado trará novas oportunidades pra você negociar e crescer no mercado. Afinal, pessoas contentes com uma compra tendem a retornar pra repetir a operação. Isso vale pra aquisição de qualquer artigo, dos mais simples àqueles considerados de luxo.

É importante destacar que problemas relacionados ao envio de pacotes são responsáveis por grande parte dos detratores das lojas. Entram nesse grupo os indivíduos que, por algum motivo, ficaram muito incomodados com a relação estabelecida com uma marca ou vendedor.

A tendência é que, após esse desconforto, os detratores comecem a falar mal da empresa aos outros consumidores. É normal, inclusive, que migrem para a concorrência e deixem de entrar em contato com você permanentemente. Nesse sentido, procure formas de prevenir a insatisfação — o Net Promoter Score (NPS) pode ajudar.

Você tinha ideia do potencial das embalagens para o sucesso do negócio? Agora que sabe como criar embalagens de qualidade, que atraem a atenção do público, não deixe de contar com o suporte de um marketplace reconhecido no mercado. Essa parceria vai deixar sua mente tranquila pra cuidar dos seus diferenciais.

Tem interesse em saber mais? Veja agora como vender mais com o Magalu Marketplace!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa