capital de giro para marketplace

Entenda como administrar o capital de giro para marketplace

Gente, vocês têm o costume calcular e gerenciar o capital de giro para marketplace? Se a resposta for não, é bom ter cuidado, viu? Muitas lojas quebram por negligenciar essa etapa do negócio.

Controlar o capital de giro é uma atividade da gestão financeira fundamental pra manter uma empresa de pé. Afinal de contas, é isso que garante um fluxo de caixa positivo pra bancar todas as despesas da loja. Quer saber como cuidar disso? Continue a leitura, que vamos explicar tudo!

O que é capital de giro?

É o dinheiro necessário pra manter as operações do marketplace em dia até que os valores das vendas entrem no caixa. Frete, estoque, prazo de pagamento aos fornecedores e vendas parceladas influenciam nesse valor. Quer ver como?

Imagine que você comprou um alto volume de mercadorias à vista. O fornecedor exigiu uma quantidade mínima grande e pagamento antecipado pra dar um desconto camarada. Parece um bom negócio, certo? Mas nem sempre é. Isso porque, muitas vezes, esse produto vai ser vendido parcelado.

Veja bem, a empresa gastou muito pra formar estoque, mas não vai ver a cor desse dinheiro tão cedo. Mesmo antes de receber, será necessário desembolsar mais pra arcar com os custos de envio, como embalagem e frete. Há também despesas com funcionários, tributos, infraestrutura etc.

Sem recursos financeiros pra pagar por tudo isso, pode ser necessário recorrer a um empréstimo pra manter o funcionamento do negócio. É aí que mora o perigo! Não adianta pegar crédito pra sair do sufoco, mas se esquecer de agir na raiz do problema, que é a necessidade de capital de giro alto. Isso pode virar uma bola de neve, até a empresa quebrar.

Como calcular o capital de giro para marketplace?

Antes de tudo, comece separando o que é ativo circulante do que é passivo circulante. Os ativos são os recursos financeiros que você tem — ou vai ter —, como parcelas a receber do consumidor, valor disponível em caixa, estoque e por aí vai.

Já o passivo circulante é formado pelos valores a pagar, por exemplo, impostos, prestações de empréstimos, fornecedores, funcionários etc. Depois de sinalizar essas categorias, é só aplicar a fórmula:

capital de giro = ativo circulante – passivo circulante

Quais são as boas práticas pra gerenciar o capital de giro?

Como podemos perceber, quanto maior for o capital de giro, mais dinheiro é preciso pra manter uma empresa funcionando. Portanto, a recomendação é reduzir esse valor a fim de facilitar as operações. Nós vamos explicar como fazer isso. Olha só!

Mantenha um estoque saudável

Quanto maior for o volume de mercadorias armazenadas, maior será seu capital de giro para marketplace. O dinheiro preso com isso poderia ser usado em áreas mais estratégicas. Lembre-se de que estoque parado é capital estagnado. Então, sem exageros, combinado?

Se você opera de forma manual e comercializa em vários canais, precisa ter ainda mais cuidado. O ideal é fazer análises históricas de vendas e considerar tendências de consumo pra dimensionar uma quantidade saudável de mercadorias a um curto período. O importante é que nem falte nem sobre itens. Se for possível, invista em tecnologias pra integrar o estoque e facilitar a gestão de produtos.

Modifique o modelo de negócios

Em um mundo perfeito, o legal seria que você recebesse da venda primeiro pra, só depois, pagar pela mercadoria, não é mesmo? E se a gente falar que, dependendo do modelo de negócios, isso é possível?

No mercado de personalizados, por exemplo, as mercadorias são produzidas sob encomenda. Apesar de ser necessário um estoque de matéria-prima pra fabricação, o capital de giro dessas operações costuma ser menor. E ainda dá pra cobrar mais caro pela exclusividade, viu?

Também existem os modelos de estoques terceirizados, em que a venda acontece antes de o pedido ser feito ao fornecedor. São os casos do dropshipping e do crossdocking. Calma, que a gente explica esses conceitos agora mesmo!

No dropshipping, a encomenda é feita depois que uma pessoa realiza sua compra no marketplace e o próprio fornecedor faz a entrega ao comprador final. Já no crossdocking, o envio acontece pela loja, mas não é preciso fazer estocagem do produto, porque ele já é enviado ao consumidor assim que chega ao centro de distribuição.

Dê atenção aos termos de fornecimento

Buscar por melhores condições de compra e pagamento é uma estratégia-chave ao reduzir o capital de giro do marketplace. Então, analise os termos de fornecimento na hora de escolher a empresa que vai garantir a sua mercadoria, ok?

Muitas vezes, conseguir que o fornecedor aceite devoluções e trocas de produtos que sobraram é mais interessante que ganhar descontos em grandes volumes e pagamento à vista. Pense nisso! Pedir um tempo maior pra pagar pelos produtos também é legal. Se você tem 60 dias pra quitar e receber do cliente em apenas 30, por exemplo, pode usar o dinheiro da venda pra quitar o débito com o fornecedor.

Reduza o prazo de recebimento

Oferecer a opção de dividir as compras é um diferencial interessante para os marketplaces. Afinal, é uma facilidade a mais ao consumidor e dá aquele empurrãozinho na decisão de compra.

Mas saiba que isso tem impactos negativos no capital de giro. Afinal de contas, o lojista paga pela mercadoria bem antes de receber do consumidor. Uma boa solução pra reduzir esse prazo de recebimentos é incentivar as compras à vista. Oferecer desconto ao comprador no boleto bancário, débito ou até em apenas 1x no cartão é uma alternativa.

No Magalu Marketplace, a antecipação automática das parcelas é uma ótima saída. Assim, dá pra adiantar as prestações do consumidor e receber tudo de uma vez. E a cobrança desse serviço já é embutida na comissão da venda.

De qualquer forma, é importante precificar corretamente, viu? Os descontos e custos com comissões e taxas de antecipação precisam compor o preço de venda. Caso contrário, o dinheiro entra no caixa rapidamente, mas você fica no prejuízo.

Identifique as centrais de custos

Pra simplificar a gestão do negócio, é possível agrupar despesas e receitas de acordo com o departamento — administrativo, logística, marketing e vendas, por exemplo. Ao fazer essa divisão, fica fácil identificar pontos de desperdício pra reduzir os custos das operações. Dá até pra definir metas e objetivos a cada setor.

Qual é o impacto no fluxo de caixa e seus resultados?

O fluxo de caixa da loja virtual é a movimentação financeira do negócio. Todo dinheiro que entra e sai é demonstrado por ele. Quando o saldo é negativo, significa que você gasta mais que recebe. Quando é positivo, quer dizer que a empresa opera no azul.

E onde o capital de giro entra nessa história? É a boa administração dele que garante que o fluxo de caixa pra vendas online se mantenha positivo. Daí sua loja fica em condições de investir pra gerar mais receitas e melhores resultados — como campanhas de marketing, ampliação de canais de vendas e por aí vai.

Administrar o capital de giro para marketplace é fundamental à saúde do negócio. Quando esse valor é muito alto, você corre o risco de ficar sem dinheiro pra manter as operações da loja. Portanto, controle isso direitinho, combinado?

Achou o nosso conteúdo interessante? Então, que tal ver mais alguns como este? Siga a gente nas redes sociais e fique por dentro das novidades: estamos no Instagram e no YouTube!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa