Gestão de estoque: entenda qual é a importância e como é feita

A gestão de estoque é fundamental para o crescimento sustentável de um negócio, em especial quando falamos do segmento de varejo. Se você não tiver os produtos disponíveis para os clientes, de nada terá adiantado os seus esforços de marketing para atrair o consumidor, não é mesmo? Um estoque sem giro também representa prejuízo.

Durante muito tempo o estoque recebeu pouca atenção de empresários de diversos segmentos, até que eles passaram a entender a importância desse setor. Pra ajudar você a fazer uma gestão de estoque eficiente, os especialistas do Magalu prepararam este artigo. Acompanhe!

O que é a gestão de estoque?

A gestão de estoque pode ser entendida como o gerenciamento e a análise de materiais em uma empresa, que são insumos fundamentais pra garantir o correto funcionamento de todas as operações.

Nesse sentido, uma administração eficiente dos fluxos de entrada e saída de mercadorias pode tornar possível uma previsão de compras mais eficiente. Isso colabora pra reduzir perdas por vencimento da mercadoria e até mesmo roubo, além de possibilitar uma melhor negociação com os seus fornecedores. Não é ótimo?

Assim, a gestão de estoque é o registro e o controle de tudo o que entra e sai da empresa. Fazer isso de forma correta traz diversos benefícios, como:

  • a projeção antecipada dos pedidos aos fornecedores;
  • a otimização do investimento com o estoque;
  • o conhecimento de quais são as mercadorias com maior e menor saída;
  • uma melhor estimativa de vendas;
  • o aprimoramento do planejamento da produção;
  • a criação de ofertas e uma precificação adequada.

Qual é a importância da gestão de estoque?

Diante do exposto, fica evidente que o objetivo da gestão de estoque é conceder um melhor controle dos recursos da empresa, ou seja, eliminar custos que não são necessários, como quando o estoque fica parado.

A gestão de estoque garante que o fluxo de mercadorias será o mais adequado possível. Dessa forma, é possível impedir falhas e garantir a satisfação do seu consumidor, com os produtos sempre à disposição.

Em um cenário ideal, o fluxo de entrada e de saída de mercadorias deve ser praticamente igual. Mas é claro que isso depende do tipo de negócio e da sua atuação no mercado, não é mesmo? É necessário também prever a sazonalidade das demandas, ou seja, a procura dos produtos em cada época do ano, evitando estoque desnecessário ou a falta de mercadoria quando a demanda é maior.

Quais são os principais métodos da gestão de estoque?

Separamos oito métodos pra que você compreenda melhor a gestão de estoque. Mas é importante entender que a Receita Federal aceita apenas três deles para o cálculo dos tributos (Custo Médio, PEPS e UEPS).

As outras metodologias podem ser usadas pra melhorar a sua gestão de estoque apenas de maneira interna. Dê uma olhada!

PEPS

O método Primeiro que Entra, Primeiro que Sai (PEPS), é uma das metodologias mais aplicadas quando o assunto é gestão de estoque. De forma resumida, é organizar as mercadorias de acordo com a ordem que elas entram no estoque.

Pensando nisso, os primeiros itens que entram são os primeiros a sair. Uma das vantagens desse método é a redução de desperdícios, em especial em segmentos que trabalham com produtos perecíveis.

UEPS

O método Último a Entrar, Primeiro a Sair (UEPS) faz o esquema contrário do método PEPS. A gestão de estoque nesse caso dá prioridade para a saída as mercadorias que entraram por último.

A lógica é que eles são mais caros do que os que já estão armazenados. Lembrando que esse método não é útil para empresas que trabalham com perecíveis.

Custo Médio

Também conhecido como MPM (Média Ponderada Móvel), o Custo Médio tem a aceitação da Receita Federal para cálculo dos tributos. Nessa metodologia de gestão, é necessário fazer a soma do valor das mercadorias que já estão em estoque, somando os itens novos e dividindo pelo total de mercadorias.

O resultado mostra o custo médio por mercadoria, que deve ser o valor utilizado para contabilizar as tributações do negócio.

Just in Time

O Just in Time, ou ‘No Tempo Certo’, é uma das metodologias de gestão que não podem ser utilizadas diretamente com a Receita Federal. Mesmo assim, vale a pena conhecer porque ela pode ser usada para a manutenção de um estoque mínimo, o que é ideal para negócios que precisam diminuir custos de armazenagem.

Com o uso de um sistema de gestão empresarial (ERP), que dê maior previsibilidade, fica mais fácil fazer o controle do estoque, não é mesmo?

Curva ABC

A Curva ABC é uma das metodologias mais usadas para o controle do estoque. Nela são utilizados o faturamento, o giro e a lucratividade para ranquear as mercadorias em três tipos:

  • tipo A: 20% das mercadorias e 80% do preço do estoque;
  • tipo B: 30% das mercadorias e 15% do preço do estoque;
  • tipo C: 50% das mercadorias e 5% do preço do estoque.
  • com o uso da curva ABC, é possível otimizar o estoque e ter um maior conhecimento acerca do seu giro.

Preço Específico

Essa é a metodologia ideal pra maquinários e carros. Essa contabilidade mostra o valor específico, orientando o processo de baixa das mercadorias após a venda. Para isso, o preço considera que o valor total do estoque é a soma dos custos de cada um dos produtos.

Giro de estoque

A metodologia calculada para o giro de estoque é aquela que usa o cálculo para fazer a identificação do desempenho do negócio na distribuição do produto, considerando um período específico. Com isso, é possível identificar o fluxo dos produtos.

Pra fazer essa contabilidade você precisa analisar qual é a capacidade de armazenamento e de saída das mercadorias. Veja o exemplo a seguir.

Considere que o seu negócio estoca 5 mil televisores de forma simultânea e comercializa 100 mil ao ano, então o cálculo é: 20 giros por ano a cada 18 dias, em média.

Ciclo PDCA

Os processos Plan (Planejar), Do (Fazer), Check (Verificar), Act (Agir) dão origem ao método PDCA. Ele tem como foco as atividades operacionais e resolução de problemas. O passo a passo do PDCA inclui:

  • identificar o processo que ocasiona a questão e precisa ser otimizado;
  • mapear as causas do problema;
  • construir um plano de ação pra resolver as causas do problema;
  • colocar os planos de ação em prática;
  • analisar se o problema foi resolvido.

Quais são as melhores dicas para fazer uma gestão de estoque eficiente?

Contabilizar de forma frequente, utilizar um sistema de gestão operacional, contar com um bom planejamento e conhecer as metodologias de gestão de estoque. Essas ações estão entre as principais pra garantir um controle eficiente das mercadorias.

Assim, pensar na rotatividade do estoque e fazer inventários também são importantes ações para garantir um controle de estoque com maior eficiência.

Pra uma maior organização das demandas, ainda é preciso verificar o layout do armazém e a gestão de logística do estoque, ações fundamentais para saber tudo o que está estocado.

Diante do exposto, fica claro que a gestão de estoque está diretamente relacionada com a eficiência e a sustentabilidade de uma empresa, seja ela pequena, média ou grande. Logo, conhecer as metodologias e melhores práticas relacionadas ao tema é a melhor forma de garantir uma operação que funcione e atenda da melhor forma as demandas de sua empresa.

Se você gostou deste artigo sobre gestão de estoque, continue no blog e veja por que é tão vantajoso fazer os treinamentos aqui do Magalu Marketplace!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa