loja virtual

Loja virtual: tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

“Como dar o pontapé inicial no meu sonho de ter uma loja virtual?” — essa é uma dúvida que muitas pessoas compartilham, desde quem é autônomo e quer trabalhar na área de vendas até quem já gerencia pequenas e médias empresas. Afinal de contas, cá entre nós, a internet se tornou bastante útil e prática em diferentes tarefas da rotina, como renovar o guarda-roupa, decorar a casa, garantir o material escolar da garotada e por aí vai.

Portanto, não dá pra ficar sem aproveitar as oportunidades que a rede oferece ao crescimento do seu negócio, não é mesmo? Por esse motivo, trouxemos um post completo que vai tirar suas dúvidas sobre o assunto, mostrar por que vale a pena investir em uma loja virtual e como entrar no ramo de venda online. Vem conferir, que a leitura vai ser ótima!

O que é uma loja virtual?

Não há muito segredo a respeito do que é uma loja virtual. Basicamente, é uma página online e/ou um aplicativo disponível pra smartphones e tablets que qualquer usuário da internet pode acessar e encontrar produtos dos mais diferentes tipos pra comprar.

Muitos deles, inclusive, têm preços, promoções e condições especiais, já que a empresa não tem os mesmos gastos que teria se estivesse vendendo em um ambiente físico. Outro aspecto é que, quando o cliente realiza a compra, ele a recebe em casa por meio do serviço de frete.

A esse tipo de transação é dado o nome de e-commerce (comércio eletrônico, em português). Além disso, ela tem algumas características bem marcantes, como o fato de poder ser feita a qualquer hora do dia e de qualquer lugar em que você estiver. Também não há aquela interação tradicional do vendedor e consumidor que ocorre nas lojas físicas, sabe?

Como funciona esse negócio?

Pra tirar o sonho de uma loja virtual do papel, você tem dois caminhos a seguir. O primeiro deles é iniciar do zero — o que requer não só mais trabalho e gastos da sua parte, mas também mais paciência pra que tudo entre nos trilhos e comece a funcionar. Isso porque é preciso:

  • pesquisar e depois escolher um serviço de hospedagem para o seu site;
  • registrar um domínio relacionado à sua marca;
  • contratar um ou mais desenvolvedores web pra projetar e organizar a interface, as funcionalidades, os padrões de segurança e o formato de navegação da página.

Afinal de contas, um site bagunçado e confuso só atrapalha a experiência do cliente, concorda? Fora isso, ainda há a contratação de um contador para as questões fiscais e financeiras do negócio, um profissional do marketing — pois você, certamente, não quer problemas nessa área — e de um serviço de entrega das encomendas dos clientes.

Já o segundo caminho é mais simples e muito, mas muito mais prático! Trata-se de você fazer parte de um marketplace, que nada mais é do que uma plataforma voltada pra venda online. Ela reúne empresários, lojistas, comerciantes e afins que querem apostar na internet pra crescer, ter um bom faturamento e ganhar o mercado.

Um dos pontos altos dessa opção é que, por ser um local desenvolvido justamente pra concentrar várias lojas virtuais, você encontra um sistema já pronto, intuitivo e otimizado pra se cadastrar, customizar os detalhes do seu negócio virtual e começar a vender.

Ou seja, você economiza tempo e dinheiro, porque não tem toda aquela jornada de colocar um site no ar do zero nem a necessidade de contar com profissionais pra fazer esse serviço e lhe orientar sobre como mexer no sistema. Com isso, só é preciso se preocupar com as questões de marketing digital, entrega de produtos e, é claro, a parte contábil do negócio.

Por que vale a pena entrar nesse setor de vendas?

Lembra quando falamos no início do texto que a internet se tornou bastante presente na nossa rotina? Pois é, não é exagero afirmar isso. Pra você ter ideia, uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) identificou que 79,1% das residências no nosso país estão conectadas à rede. É um resultado bem alto!

Porém, esse não é o único levantamento feito que mostra o peso dela na atualidade, viu? A 51ª pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) sobre o panorama brasileiro de consumo, publicada em 2020, encontrou informações pra lá de valiosas sobre o volume de compras pela internet em território nacional.

Por exemplo, 42% de toda a população — o que dá cerca de 83.800.000 de pessoas — já comprou online, pelo menos uma vez. Desse total, 66,67% — o que representa 55.869.460 de pessoas — compra produtos e adquire serviços dessa forma com frequência. E é fácil entender os motivos que levam a isso: facilidade e comodidade de adquirir o que quer sem sair de casa, na hora que desejar, com boa variedade de preços, sem ter que encarar filas e com apenas alguns cliques.

Além disso, segundo a sondagem do SPC Brasil, 47% das pessoas só adquirem algo em uma loja física após pesquisar online pelo que desejam. Na internet, elas encontram notícias sobre o produto, comentários e publicações (tanto positivos quanto negativos) nas redes sociais, resenhas feitas por famosos e influenciadores digitais e muito mais. Ou seja, não falta conteúdo pra guiar a decisão de compra!

Você consegue perceber como a internet se tornou indispensável aos brasileiros, servindo até mesmo pra moldar os hábitos de consumo de todos nós? Não é à toa que a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM) cravou um ano de crescimento recorde no e-commerce brasileiro. A estimativa dela é de que em 2020 o setor de vendas online movimente nada mais, nada menos que R$ 100 bilhões.

Portanto, não estar presente na rede significa apenas uma coisa: permanecer estagnado. É abrir mão de aproveitar esse mercado em expansão, de se reinventar como empreendedor e de explorar novos caminhos profissionais. É ter medo de encarar novos desafios e de lidar com o futuro do comércio, que já é virtual, dinâmico e personalizado.

Há desvantagens nesse setor?

Você viu alguns bons motivos pra entrar no setor de vendas online, porém, deve estar se perguntando se ele não tem alguma desvantagem, não é mesmo? Pois bem, a verdade é que, assim como o setor de vendas físicas, ele também conta com desafios. No entanto, tenha em mente que sempre é possível superá-los, viu?

No e-commerce, por exemplo, o cliente não vê o produto ao vivo e a cores — só depois que a encomenda chega na casa dele. Logo, não é possível testá-lo pra vê-lo em funcionamento, nem mesmo sentir com as próprias mãos como é o material desse item antes de pagar por ele.

Portanto, a loja virtual precisa fisgar a atenção do consumidor de maneira muito certeira e garantir que ele tenha à disposição o máximo de informações possíveis sobre o produto. Isso significa uma boa variedade de imagens (todas de boa qualidade!) e uma descrição rica em detalhes da mercadoria.

É preciso imaginar que a página vai assumir o papel de vendedor, sabe? E esse é outro ponto desafiador do e-commerce! Isso porque, se pra algumas pessoas não há problema a ausência dele, pra muitas outras que estão acostumadas a esse serviço, há. Ainda mais quando elas sempre tiveram o hábito de consumir presencialmente.

Por essa razão, sua loja virtual deve se adiantar pra sanar possíveis dúvidas, abordar as formas de uso, falar sobre a garantia, esclarecer a quantidade de itens vendidos, apresentar os dados técnicos e por aí vai. Além disso, é preciso sempre estar atento à segurança do site, atualizando e renovando as medidas antifraude e antigolpe pra evitar vazamento de dados não só dos clientes, como os do próprio e-commerce.

Um desafio que também é constante é a diversidade de lojas virtuais concorrentes. Logo, é preciso estar pronto pra inovar, aumentar o catálogo de produtos e melhorar a comunicação da marca pra se manter a frente da concorrência.

Vale a pena abrir uma loja virtual mesmo tendo uma loja física?

Se você se pergunta se é uma boa ideia abrir uma loja virtual mesmo já tendo uma loja física, saiba que a resposta é sim — e os motivos são muitos! Pra começar, a sua loja online funciona como uma extensão da física e permite que a sua marca tenha uma presença digital, o que é fundamental em uma época em que, como mostramos, a internet é usada diariamente por quase 8 a cada 10 brasileiros.

Ao estar na web, você não só é visto por quem já compra em sua loja, como também tem um alcance muito maior, podendo divulgar o seu produto e os seus diferenciais a potenciais clientes todos os dias. É o caso, por exemplo, daquelas pessoas que têm a rotina puxada e não encontram tempo suficiente pra ir até uma loja, ainda mais em horário comercial. Por isso, recorrem à internet pra fazerem as suas compras.

Outra razão é que dá pra usar o e-commerce pra vender aquilo que já está no estoque do seu estabelecimento, evitando, inclusive, que algumas mercadorias encalhem pela falta de saída nas vendas presenciais. Aliás, ao usar seu estoque para ambas as lojas, o custo operacional em manter os dois negócios se torna mais baixo — já que há menos despesas com aluguel e manutenção de espaços físicos, equipe de vendas, serviço de fornecedores etc.

Dá até pra oferecer ao consumidor a opção de retirada do produto comprado em loja física, o que pode levá-lo a gastar primeiramente online e, depois, presencialmente ao conferir os demais itens que você tem à venda. Além disso não dá pra deixar de fora o papel das vendas online em situações de crise sanitária, como é o caso da pandemia de COVID-19.

Diante da situação desafiadora da quarentena, a internet foi a alternativa que muitos negócios encontraram pra se manterem funcionando. Somente por meio dela foi possível atender os clientes e arcar com as despesas internas, como pagamentos de fornecedores, parceiros, colaboradores e afins. Aliás, um levantamento mostrou que, apesar das dificuldades desse período, o varejo cresceu 81% graças às vendas virtuais e ainda teve um aumento de 70% no volume de clientes online.

Quais são os passos principais pra entrar no ramo da venda online?

Até aqui, falamos bastante sobre o que é e como funciona uma loja virtual, por que as vendas online são importantes, os desafios do setor e, inclusive, o quanto vale a pena ter um e-commerce mesmo já tendo uma loja física. Por isso, você deve estar mais decidido do que nunca a investir nessa área, não é verdade?

Para ajudar, reunimos alguns passos fundamentais pra você não quebrar a cabeça com planejamento e organização do seu negócio, investimentos iniciais, gastos desnecessários e dúvidas sobre entregas e divulgação. Veja só!

Planeje o seu negócio

Pra começar um negócio, seja no mundo real, seja mundo virtual, é preciso planejamento pra não trocar os pés pelas mãos. Afinal, ele funciona como um guia para os seus próximos passos, deixa claro quais são os seus objetivos e traça como será o seu cronograma de vendas. Por isso, comece por ele!

Nesse material, você deve identificar o que é a sua loja, qual a proposta dela, o nicho que atenderá e no que ela se diferencia dos concorrentes — inclusive, vale a pena listá-los pra estudar os pontos fortes e fracos deles. A partir disso, selecione o que terá no seu catálogo de produtos (e como será a estocagem), a faixa de preços desses itens e as promoções e ofertas que serão realizadas nas primeiras semanas.

Defina também aspectos de marketing e posicionamento de marca, os canais de comunicação do seu e-commerce e as estratégias e divulgação da sua loja, combinado?

Escolha a plataforma perfeita para se vincular

Lembra quando falamos sobre como funciona uma loja virtual e que você pode montar a sua por meio de um marketplace? Pois, então, ao escolher essa alternativa pela praticidade e comodidade que ela oferece, é preciso avaliar bem a plataforma antes de se vincular e começar as suas vendas. Isso porque existem várias disponíveis, mas a sua escolha deve ser pautada pela confiabilidade.

Quer ver um exemplo? O Magalu Marketplace, além de contar com o renome da marca no mercado tradicional, é a mais importante empresa de tecnologia voltada para o varejo online, com centenas de lojas parceiras. Por isso, oferecemos a você uma série de diferenciais. Afinal, queremos ver o seu sucesso!

Você não precisa realizar nenhum investimento inicial pra fazer parte do nosso marketplace, sabia? Já pode comercializar os seus produtos diretamente aos nossos consumidores desde o início. Também disponibilizamos treinamentos e conteúdos exclusivos pra ajudar os novos parceiros a se adaptar ao ramo de vendas online.

Para completar, ainda dispomos de serviços extras que turbinam o seu negócio: o Magalu Entregas, que realiza a entrega das compras sem custo extra e em um prazo show de bola, e o Magalu Ads — pra você deixar os seus produtos sempre em destaque na nossa plataforma e, assim, vender mais.

Divulgue o seu e-commerce

Além do que foi falado, é importante que você divulgue o seu e-commerce, viu? Afinal, é como diz aquele famoso ditado: quem não é visto, não é lembrado! Então, uma boa forma de fazer isso é marcando presença nas redes sociais e criando conteúdo regular para cada uma delas — Facebook, Instagram, TikTok, Twitter etc.

Esse material deve servir não só pra colocar os seus produtos em evidência, mas também pra interagir com os clientes e fornecer a eles um canal de comunicação descomplicado, atencioso e rápido. Isso torna a experiência deles muito mais agradável e aumenta a confiança dos consumidores no seu serviço.

Maravilha, não é? E tem mais! Dá pra fazer anúncios e promover publicações tanto pra quem já segue a sua marca quanto pra quem não a conhece ainda, mas faz parte do seu público-alvo.

Mantenha-se informado sobre a sua concorrência

Nunca deixe de se manter informado e bem atualizado sobre a sua concorrência, combinado? Isso é necessário pra manter a sua competitividade no mercado e não perder clientes por conta de falta de iniciativa e atenção — ainda mais quando há uma boa variedade de lojas atuando no seu mesmo ramo.

Por isso, fique esperto quanto aos lançamentos de produtos, às políticas de entregas, às novas tabelas de preços, aos períodos de promoção e, em especial, às novidades que os concorrentes anunciam a quem também compra com eles nas lojas físicas.

Trabalhe duro

Fora o que foi dito, tenha sempre em mente que é preciso trabalhar duro ao entrar no ramo de vendas. Isso porque não se trata apenas de vender um produto “X” a alguém pela internet, mas de se capacitar pra trabalhar na rede, disputar a atenção do cliente com outros e-commerces e conquistar o seu espaço em um mercado que não para de crescer.

Como garantir a melhor gestão para o meu e-commerce?

Assim como acontece em qualquer loja física, saber administrar o negócio é fundamental pra que o seu e-commerce vá de vento em popa, ganhando destaque no mercado, conquistando mais clientes e aumentando os ganhos mensais. Por isso, dá só uma olhada nas dicas que separamos pra ajudar com a gestão da sua loja virtual!

Defina as suas metas

Defina metas de venda para a sua loja virtual, pois isso ajudará a traçar uma previsão mais segura de lucro no final de cada mês. Para isso, leve em conta a sua média de vendas no estabelecimento físico (caso você tenha um), o volume de vendas atual no setor, a sua capacidade de reposição de estoque e os investimentos feitos em compra de novos produtos. Anotou tudo aí?

Tenha um público-alvo bem definido

Outra dica importante é definir qual é o público-alvo do seu negócio, ou seja, o perfil de cliente que será o mais comum entre os seus consumidores. Esse tipo de informação é muito valioso e tem um papel fundamental no planejamento da sua loja virtual, sabia?

Afinal, ela servirá pra que você defina estratégias de venda, formas de divulgar o seu produto, ações de marketing na internet, logística de entregas, meios de comunicação com os clientes e muito mais. Tudo isso com o objetivo de acertar em cheio essas pessoas, atraindo elas para o seu e-commerce, garantindo a sua satisfação a cada compra realizada e servindo pra fortalecer e divulgar a sua marca de forma positiva na rede.

“Mas como fazer isso?”, você pode estar se questionando. Calma, que a gente explica direitinho! Pra começar, desenvolva pesquisas de mercado sobre o seu segmento de acordo com os produtos que você vai vender na loja virtual (eletrônicos, cosméticos, vestuário, material esportivo, itens de papelaria etc.). 

Vale mencionar que se você já tem uma loja física também é uma ótima ideia aplicar pesquisas e questionários com os fregueses, a fim de identificar os principais traços dessas pessoas, como faixa etária, gênero, profissão, estado civil, renda mensal, região onde moram, grau de educação, entre outros aspectos.

A partir daí, é possível reconhecer qual é, de fato, o perfil do seu cliente e garantir que o seu negócio esteja preparado e adaptado para atendê-lo — e o principal, fidelizá-lo!

Gerencie o seu financeiro

Por fim, gerencie o seu financeiro pra não ter problemas no futuro! Na prática, isso significa conhecer quais são os seus gastos, de modo que seja viável:

  • manter e renovar o seu estoque;
  • deixar em dia os impostos do seu negócio;
  • controlar de perto o fluxo de caixa — que envolve não só o dinheiro que entra por conta das compras, mas também o dinheiro que sai para os pagamentos (de fornecedores e colaboradores), aquisição de material e despesas diárias.

Também é interessante que você crie uma reserva financeira pra situações de investimentos ou mudanças na loja virtual, como a expansão do e-commerce e a venda de novos produtos. Aliás, ela pode ser bastante útil pra manter o negócio ativo em meio uma crise do mercado e também pra superar períodos de venda mais fracos ao longo do ano.

Viu só como ter uma loja virtual influencia não apenas no lucro e crescimento do seu negócio, mas principalmente na visibilidade que ele tem? Um e-commerce torna seu nome conhecido e acessível em todo o país e favorece o pós-venda para a fidelização de clientes — muitos deles, inclusive, de outras cidades e estados.

O que você está esperando pra começar? Invista no Magalu Marketplace pra entrar no ramo de vendas online de forma segura e com todo o suporte necessário de uma equipe que estará ao seu lado o tempo todo. Entre em contato com a gente e saiba os detalhes pra se tornar um dos nossos parceiros!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa