Mundo digital | Economia colaborativa

Por Aline Pinto Moreira, Magalu.

Você sabe o que é economia colaborativa?

A economia colaborativa surgiu da percepção de que, anos de acúmulo de bens trouxeram danos sociais e ambientais à nossa sociedade. Nasceu então a ideia do compartilhamento de bens, muitas vezes, caros e não essenciais.

Você pode compartilhar seu carro, sua casa de praia, suas roupas de festa, seu tempo, uma habilidade que você tem e tudo mais que você conseguir imaginar. Essa economia é baseada em justiça, transparência e boa vontade.

A economia compartilhada é horizontal, ou seja, você está oferecendo ou recebendo algo de uma pessoa como você. Em um momento você pode ser quem oferece e em outro quem recebe.

Parece bem simples, não é? E é muito simples mesmo. Provavelmente você já está dentro dessa economia e nem percebeu ainda.

Vamos a alguns exemplos práticos?

Lembra dos tempos em que você ligava para uma central para pedir um táxi e pagava super caro na corrida? A economia colaborativa mudou isso! Hoje, você pode pedir um carro usando um aplicativo do seu celular e consegue uma corrida muito mais em conta, principalmente se você for dividir com outro usuário que fará um caminho parecido com o seu.

Outro exemplo prático, é o de pessoas que colocam suas casas ou quartos para aluguel temporário através de aplicativos. Ou, pessoas que vão viajar sozinhas e decidem encontrar companheiros de viagem que, pagando um pequeno valor, vão junto em seu carro, assim sai mais barata para todos. Ou, mais surpreendente ainda, pessoas que compartilham suas roupas e sapatos através de um guarda-roupa compartilhado. Surpreendente e sustentável, não?

Isso é confiável?

Uma ótima pergunta! Como você pode confiar em um motorista que você nem nunca viu? Ou no anúncio daquela casa linda, para passar o final de semana? E pegar carona com alguém que você não tem ideia de como seja?

Como eu disse antes, essa nova economia é baseada na transparência. Essa transparência é garantida pelos próprios usuários das plataformas, através de avaliações. Tanto quem usa, como quem oferece, precisa avaliar o bem ou serviço ao final da experiência. Na maioria das vezes com notas que vão de 1 a 5 e também com comentários e elogios.

Assim, antes de fechar um acordo, ambas as partes conseguem pensar sobre os riscos envolvidos.

Qualquer semelhança com o marketplace não é mera coincidência!

Esses aplicativos, que reúnem pessoas e empresas oferecendo bens, serviços e conhecimento, nada mais são do que grandes plataformas de marketplace. A diferença é que, no final das contas, o bem só é transferido temporariamente para o usuário.

Assim como nessas plataformas, nossos parceiros de marketplace devem estar atentos à transparência e à boa vontade. Pois, ao longo de toda jornada, o cliente pode avaliar sua experiência. Garantimos assim que, apenas aqueles parceiros que têm uma boa performance de entrega, uma baixa taxa de cancelamento e um bom nível de atendimento ao cliente, continuem nossos parceiros.

Aqui no Magalu, o cliente é a razão pela qual trabalhamos todos os dias. Por isso, daremos sempre o nosso melhor, para que ele saia encantado a cada experiência. Somos cliente na veia e precisamos de parceiros que também sejam! 🙂

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa