o que vender para ganhar dinheiro

O que vender para ganhar dinheiro no marketplace? Veja 9 ideias

Já pensou em vender numa espécie de shopping na internet? Pois saiba que isso é bem possível! E a resposta está nos marketplaces. Nessas plataformas de comércio eletrônico, dá pra ganhar boa visibilidade pra sua marca, gastar menos com domínios, ter maior retorno com seus investimentos e, principalmente, fechar mais vendas.

Se tem um bom investimento pra fazer agora é, de fato, vender pela internet, concorda? Afinal, é um mercado que só cresce por conta da praticidade. Só em outubro de 2020, por exemplo, houve um crescimento de 87% nas vendas no comércio eletrônico brasileiro.

Mas o que vender para ganhar dinheiro no marketplace? Essa é uma dúvida comum entre as pessoas que querem iniciar um negócio na internet, mas não têm nem ideia do que é rentável. Se esse é o seu caso também, temos uma boa notícia: preparamos uma lista com as 9 melhores sugestões de produtos para a sua loja virtual.

De bônus, você ainda vai aprender a calcular o custo-benefício dessas mercadorias e outras informações antes de colocar sua marca na rede. Vamos lá?

O que vender para ganhar dinheiro?

A partir de agora, a cada ideia de produto pra vender no marketplace, pense no quanto você se identifica com esse nicho. Isso vai te ajudar a escolher o que mais vale a pena pra sua estratégia. Ah, e se prepare pra conferir os benefícios dessas alternativas, com alguns dados bem interessantes sobre sua demanda no mercado.

Vem com a gente!

1. Móveis

Seja pra montar a casa dos sonhos, seja pra dar aquela repaginada em algum cômodo, as pessoas sempre estão em busca de móveis. O bom é que existem diferentes tipos, materiais, níveis de resistência, referências, inspirações… ufa! É oportunidade demais pra você ganhar dinheiro no marketplace.

Você pode vender tanto móveis em geral quanto se especializar em um local da casa: a sala de jantar, por exemplo. Então, entre o seu catálogo, estariam produtos como mesas, cadeiras, banquetas, aparadores, cristaleiras, prateleiras e assim por diante. Quer mais ideias do que investir? Olha só:

  • camas;
  • mesas de cabeceira;
  • poltronas;
  • cômodas;
  • guarda-roupas;
  • mesas de escritório;
  • racks;
  • prateleiras e nichos.

Uma boa aposta neste momento é vender móveis pra escritório. Sabe por quê? Durante a pandemia, esse foi um dos setores de maior crescimento. Veja só estes dados de crescimento percebidos pelas empresas, publicados no portal Valor Investe:

  • Mobly teve aumento de 39% na venda de artigos de escritório;
  • Etna triplicou o número de vendas desses mesmos produtos entre abril e junho de 2020.

Neste grupo, só um cuidado: móveis costumam ser peças maiores e mais pesadas. Em consequência, o frete acaba ficando bem expressivo quando o consumidor coloca os produtos no carrinho. Ainda neste post, você vai conferir algumas dicas pra repensar essa questão, combinado?

2. Eletrodomésticos

Já reparou no quanto os eletrodomésticos mudaram nos últimos anos? Pra melhor, claro! Eles já tinham como objetivo dar mais flexibilidade pra vida das pessoas, mas estão indo além do imaginado pelo público, graças às inovações tecnológicas. Olha só a máquina de lavar, por exemplo. Agora, existem opções que até liberam a roupa seca depois de algum tempo!

Outro grande sucesso é a airfryer, também chamada de fritadeira elétrica sem óleo. Os dias de cozinha cheirando a fritura chegaram ao fim com esse aparelho. Com tanto benefício, não é de se espantar que as pessoas estejam em busca dessa novidade, certo? Além desses exemplos, dá pra citar:

  • liquidificadores;
  • ferro de passar;
  • pipoqueira;
  • churrasqueira;
  • panela elétrica;
  • máquina de costura;
  • lava-louça;
  • televisores.

Selecionar as melhores marcas do mercado é a estratégia de ouro pra esse nicho. Afinal, os consumidores querem qualidade e durabilidade nesses produtos. Além disso, por mais que entendam o distanciamento entre vendedor e marca da mercadoria, acabam descontando a frustração na loja quando há alguma avaria durante o uso da sua nova compra.

3. Eletroeletrônicos

Se tem um tipo de produto que o mercado de vendas online ama é o eletrônico — e a gente está falando só dos celulares não, viu? Outros são:

  • computador;
  • televisor;
  • tablets;
  • sistema de automação;
  • impressora;
  • máquina de cartão.

Aqui, um alerta é quanto à concorrência. Existem muitas empresas que comercializam eletrônicos na internet, com preços, condições de pagamento e formas de entrega que variam bastante. Se você não vê problema em enfrentar esse desafio, excelente! Mas tenha em mente que é preciso investir em diferenciais competitivos.

Isso significa selecionar os melhores fornecedores, vender marcas de excelência no mercado, ter preços atrativos e promoções etc. A alternativa a isso é apostar na especialização: escolha um produto e determinado fabricante para a sua estratégia no marketplace. Assim, poderá ampliar sua divulgação e oferecer um atendimento mais personalizado aos clientes.

4. Produtos de moda e beleza

O mercado de beleza e cuidados pessoais do Brasil é o quarto maior no mundo. Já pensou ficar atrás só de Estados Unidos, China e Japão? Isso significa que tem muita gente que pode se interessar pelas mercadorias que você vende no marketplace. Aqui, estão produtos como:

  • hidratantes;
  • shampoo e condicionador;
  • sabonetes;
  • esfoliantes;
  • óleos;
  • maquiagens;
  • demaquilantes;
  • pincéis;
  • cremes.

Um dos motivos que justificam essa alta demanda é a preocupação das pessoas com a saúde — que se reflete nos cuidados com a pele, os cabelos e o corpo em geral. Em consequência, também são produtos que movimentam boas estratégias nas redes sociais. Então, é uma boa aposta pra você!

Uma boa alternativa é vender produtos de moda online. Entre os cuidados necessários aqui está a escolha dos tamanhos das peças. Prepare um guia de medidas bem fiel às roupas e calçados. Isso ajuda não só o cliente na hora da compra, mas também evita alguns dos seus custos com devolução ou desistência.

Dentro desse segmento tão amplo, dá pra trabalhar com um nicho, como a moda inclusiva. Como as grandes lojas de departamento nem sempre se preocupam com esse público, você pode conseguir clientes fiéis. Pra isso, comercialize roupas, calçados e acessórios que atendam às necessidades dessas pessoas com toda a qualidade possível.

5. Acessórios para dispositivos móveis

Existem 424 milhões de smartphones só aqui no Brasil. Pra cuidar desse tanto de dispositivo na rotina corrida, as capinhas e películas acabam sendo boas aliadas das pessoas. Afinal, nada pior do que deixar o aparelho cair e quebrar a tela, né? Por essa mesma razão, esse tipo de produto faz muito sucesso na internet.

Os acessórios pra dispositivos móveis são uma boa opção principalmente por conta do preço: tanto de aquisição da loja quanto no valor final para o consumidor. O lucro pode chegar a 600% em alguns casos. Também vale lembrar que uma pessoa pode querer mais de uma capinha, por exemplo, o que rende boas oportunidades de negócio para a sua loja.

Aqui, uma dica é procurar aqueles aparelhos que mais vendem no mercado. Possivelmente terão maior procura na sua loja, concorda? Além disso, a gente citou aqui as capinhas e películas, mas existem vários outros acessórios pra investir também:

  • carregadores portáteis;
  • cabo USB;
  • fones de ouvido;
  • caixinhas de som portáteis;
  • suporte para celular;
  • bastão de selfie;
  • cartão de memória;
  • pendrive.

6. Produtos para animais de estimação

Os animais de estimação são queridinhos de diferentes públicos: de crianças a idosos. Esses companheiros pedem alguns cuidados, tanto pra questões de saúde quanto pra estética. Nessa história, existem diversas oportunidades de negócio relacionadas com o mercado pet.

Você sabia que o Brasil conquistou o segundo lugar no ranking mundial de vendas de produtos pet? Até o fim de 2019, foram mais de R$ 35 milhões de faturamento no varejo e na indústria. Mas não só isso: segundo a Abinpet, aqui no país, a gente tem 139,4 milhões de bichinhos de estimação — cachorros, gatos, peixes, aves e por aí vai.

Esses números fazem os olhos até brilharem, né? Ainda mais visualizando a oportunidade ao vender esse tipo de produto. Quer algumas ideias bacanas? Veja só:

  • roupas personalizadas para cachorros ou gatos;
  • acessórios, como laços, bandanas, adesivos, entre outros;
  • coleiras e identificadores com o nome do pet;
  • ração, petiscos e outros alimentos;
  • brinquedos e demais itens educativos;
  • camas, tapetes, comedouros, caixas ou acessórios para transporte;
  • cosméticos e produtos para banho e limpeza em geral;
  • escovas para pentear e rasqueadeiras;
  • medicamentos, como antipulgas e vermífugos.

7. Papelaria

Com o home office em alta, as pessoas precisam montar seus escritórios dentro de casa — como a gente viu no tópico dos móveis. Se você já foi em busca do seu, sabe que, vira e mexe, falta papel, caneta, uma agenda, clipes, organizadores e por aí vai. Esses itens de papelaria não podem faltar pra ajudar na produtividade, né?

O guia definitivo para criar bons anúncios no marketplace

Existe uma infinidade de produtos que podem fazer parte do seu catálogo. A gente separou alguns dos mais interessantes pra você, além dos que já citamos:

  • apontadores;
  • borrachas;
  • lapiseiras e lápis;
  • cola e tesoura;
  • estiletes;
  • régua;
  • organizadores de mesa;
  • fichário.

Alguns dos itens mais cobiçados, principalmente pelas crianças, são os produtos com estampa de heróis e desenhos famosos. Ainda que custem mais para o bolso dos pais, os pequenos consumidores veem muito valor nesse tipo de mercadoria. Uma ideia é montar kits com descontos pra atrair a atenção desse público.

Outra opção rentável pode ser a venda de objetos de papelaria personalizados, como agendas, cadernos e os chamados planners — um organizador pessoal mais amplo que a agenda. Dá pra produzir ou fazer parceria com algum artesão pra criação dessas peças, que são bem apreciadas pelo público. É o que nos leva à próxima dica.

8. Produtos personalizados

Nem só de peças de papelaria vive a personalização. Aqui, a gama de produtos é imensa e funciona pra diversas ocasiões, desde a escolha de um presente até a seleção de artigos que deem um charme a mais na coleção pessoal. São alguns exemplos:

  • almofadas;
  • jogos de cama;
  • peças de roupa: camisas, camisetas, shorts, calças, lenços, entre outros;
  • bolsas e mochilas;
  • acessórios.

O artesanato brasileiro tem muito valor. Inclusive, movimenta mais de R$ 50 bilhões por ano no país, segundo o IBGE. Em muitas regiões do país, é o que impulsiona o turismo e dá sustento à população. Nada melhor que dar visibilidade e oportunidades de venda pra esses profissionais, concorda?

Se quiser escolher o artesanato para ganhar dinheiro no marketplace, selecione parceiros de confiança. Sabe aqueles em que você confia pra entregar as peças no prazo certo e com toda qualidade? Ainda dá pra fazer embalagens personalizadas e proporcionar uma experiência de compra encantadora pra seus clientes. Já pensou?

9. Objetos de decoração

Estar em casa com mais frequência também despertou em muita gente a vontade de fazer pequenas reformas em alguns cômodos. De acordo com a Associação Brasileira do Comércio Eletrônico (ABComm), houve um aumento superior a 23% nas vendas de móveis e artigos de decoração entre 1º de março e 30 de abril de 2020.

E eles também são diversos:

  • quadros;
  • espelhos;
  • relógios;
  • pratos;
  • luminárias;
  • centros de mesa;
  • cachepô;
  • caixas decorativas.

Um artigo de decoração pode repaginar um ambiente e dar mais personalidade ao lar da pessoa. Então, vale apostar nesse tipo de produto para salas de jantar, escritórios, quartos e até para a cozinha.

Aqui, o máximo cuidado vai para as embalagens das peças. Quando há negligência nessa parte, sua relação com o cliente pode sair prejudicada — já pensou desanimar as expectativas dele com um produto que chegou quebrado ou danificado?

É preciso focar um tipo de produto?

Muita gente que se interessa em vender pelo marketplace tem dúvidas se é preciso investir em um nicho de mercado ou se dá pra escolher vários tipos de produto pra comercializar. Na verdade, não há uma obrigação. Mas saiba que você tem muito a ganhar quando segmenta o seu catálogo de mercadorias.

O principal dos benefícios disso? Ganhar visibilidade diante da concorrência. Quando você coloca todos os seus esforços em um nicho, nada vai desviar seu foco dele, concorda? Então, vai em busca de melhorias pra suas vendas e, com o tempo, aprende as melhores técnicas de venda pra esse tipo de produto.

Isso sem falar que você se torna especialista nesse segmento. Vamos supor que escolha os eletrônicos pra vender e ganhar dinheiro no marketplace. Quando um potencial consumidor fizer perguntas na página do produto sobre alguma característica dele, vai conseguir responder bem mais rápido e com maior certeza. Já pensou ser capaz de indicar o que seu cliente precisa?

Outro ponto positivo de escolher um nicho é a seleção de produtos. Ainda nesse exemplo de eletrônicos, você vai poder definir os mais vendidos e queridos no mercado pra conquistar melhores oportunidades com esse investimento. Também fica mais fácil encontrar um bom fornecedor pra conseguir excelentes preços.

Mas escolher um nicho limita as possibilidades de venda? Essa é outra dúvida de muitas pessoas que querem se estabelecer em um marketplace. Pra entender a resposta, você deve lembrar que dá pra comercializar o mesmo produto em larga escala, desde que faça uma escolha com bom custo-benefício. E é o que a gente vai conferir no tópico a seguir.

Como calcular o custo-benefício dos produtos?

Você pode se identificar muito com um produto, mas será que o custo-benefício dele é ideal pra ganhar dinheiro? Essa é uma boa pergunta a se fazer no seu processo de decisão, principalmente pra potencializar os seus lucros com a venda na internet. A relação pra entender é se vale mesmo o investimento pelo retorno que vai conseguir com essa venda.

O primeiro passo é identificar quais são os gastos que envolvem a mercadoria que pretende vender pra ganhar dinheiro no marketplace. Pense em termos de:

  • matéria-prima pra produção: se você vai criar os produtos pra venda, deve anotar quanto eles custam do início ao fim do processo, considerando variações de inflação e assim por diante;
  • preço de mercado: vale acompanhar por quanto os concorrentes conseguem vender o produto na internet. Alguns têm fornecedores aos quais você não tem acesso e, assim, dão mais descontos aos clientes e tornam seus anúncios mais caros aos olhos do público;
  • estoque: manter os produtos estocados tem um grande custo, além de pedir uma gestão cuidadosa, com relatórios do que entra e sai, entre outros detalhes;
  • demanda: se vai estocar produtos, precisa entender se eles terão saída no mercado. Lembre-se de que estoque parado é ruim pra seus lucros;
  • logística: pra enviar os produtos aos clientes, também existem custos. No marketplace, essa é uma responsabilidade do lojista. Então, é preciso selecionar os melhores parceiros de entrega para ter uma boa logística, com valores que não impactam muito o valor da sua mercadoria para o consumidor.

Por falar em frete, saiba que esse impacto pode ser muito grande na decisão do cliente. O seu produto pode ser o mais vantajoso do marketplace todo, tanto em preço quanto em qualidade. Mas um valor da entrega alto se torna um impeditivo pra compra.

Duvida? Então, passe os olhos por sites como o Reclame Aqui. Quantas reclamações de preço de frete abusivo consegue encontrar? Provavelmente, muitas, nas mais variadas lojas e marketplaces do mercado. Inclusive, essa plataforma realizou uma pesquisa que bateu o martelo: 64% das pessoas abandonam o carrinho por causa desse valor de entrega.

Método de precificação

Um dos erros comuns no marketplace e nas vendas pela internet em geral está na escolha dos preços dos produtos. Afinal, que valor colocar em cada mercadoria? O mesmo que você praticaria se estivesse vendendo pela loja física? O que fazer pra ver seus clientes enchendo o carrinho e finalizando a compra da sua marca, e não da concorrência?

A gente viu que escolher bem os fornecedores é uma boa, não é? Então, vá em busca desses parceiros, que oferecem produtos ou matérias-primas de qualidade a um valor mais em conta. A partir daí, é só considerar os outros custos que terá nas vendas, como os já vistos aqui e outros, como taxas de pagamento e parcelamento, do marketplace e por aí vai.

A gente reforça: não se esqueça dos impostos da loja virtual. Se os tributos não estão embutidos no que você vende, quem vai arcar com esse prejuízo é o seu bolso.

Coloque aí também a margem de lucro que você deseja — e ela precisa ser realista, viu? Seus clientes querem ver vantagem em valor, assim como o seu bolso, com os retornos financeiros. De acordo com uma pesquisa de Lett e Opinion Box, preço e promoção são os fatores que mais impactam a decisão de compra pra 78% dos consumidores.

Nessas análises todas, viu que o produto vai ficar caro pra sua audiência? Então, isso quer dizer que o custo-benefício não é dos melhores e talvez esse não seja o tipo ideal de mercadoria pra vender no marketplace. A sorte é que existem várias alternativas pra escolher!

Como se dar bem nas vendas no marketplace?

Antes de ir embora, aqui vão algumas boas práticas pra que a sua trajetória de vendas no marketplace seja um sucesso:

  • escolha o melhor marketplace do mercado, que seja um parceiro de negócios e ofereça boas condições pra seus lucros;
  • tenha como prioridade número 1 o atendimento humanizado, pra ganhar o coração do seu cliente e torná-lo um promotor da sua marca;
  • cuide da logística de entregas e envie os produtos o quanto antes para o comprador;
  • deixe a cara dos seus produtos bem atrativa na plataforma de marketplace, pra atrair os consumidores;
  • fique de olho no pós-venda pra fidelizar mesmo o cliente, até que a sua marca se torne a queridinha dele;
  • divulgue bastante os seus produtos nas redes sociais, pra levar as pessoas ao seu espaço no marketplace;
  • ofereça bons descontos e brindes, quando possível, além de um preço de arrasar.

Pra entender melhor cada dica, confira nosso post sobre como aumentar as vendas no marketplace!

Agora você já tem uma boa ideia sobre o que vender para ganhar dinheiro no marketplace — e sabe que investir em um nicho traz vantagens imperdíveis para o seu negócio. Então, comece a se planejar! Pense nos produtos que conseguiria comercializar, tendo bons rendimentos, e escolha uma plataforma parceira, que te dê suporte desde a sua primeira venda!

Vem para o Magalu! Aqui, a sua loja vai ter mais visibilidade e oportunidades de negócio com clientes do Brasil inteiro.

E aí, gostou e quer vender com a gente? Aproveite a visita no blog e aprenda a fazer a integração no Magalu Marketplace!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa