Organização financeira para autônomos

7 dicas de organização financeira para autônomos

A organização financeira para autônomos é um grande desafio pra quem trabalha por conta própria. Afinal, a sazonalidade das vendas pode impactar nos rendimentos. É preciso arcar com os custos de impostos e outras despesas pra manter o seu CNPJ ativo, seja como Micro Empreendedor Individual (MEI) ou em outra categoria de pessoa jurídica.

É interessante, então, estar sempre atento, porque a formalização do autônomo ainda traz diversas vantagens, como auxílio-doença, auxílio-maternidade, e possibilita a emissão de notas fiscais. Assim, pra ter sucesso nessas atividades, manter as finanças da empresa organizadas e sua vida pessoal em ordem são atitudes fundamentais.

Pra ajudar você nisso, preparamos este artigo sobre organização financeira. Vamos lá?

1. Separe o dinheiro profissional do pessoal

Um dos grandes erros quando o assunto é organização financeira para autônomos, é não separar as finanças pessoais dos custos com a empresa. E é por isso que a maioria das pessoas encontra muitas dificuldades na hora de organizar a sua vida financeira.

Um dos primeiros passos pra conquistar essa habilidade é separar tudo o que é despesa da empresa — como aluguel de espaço, telefone e pagamento de funcionário — das suas contas pessoais — que são aqueles custos com residência, escola das crianças e supermercado, por exemplo.

Assim, fica mais fácil organizar o fluxo de caixa e assegurar o capital de giro do seu negócio. Não caia no erro de cobrir despesas pessoais com o dinheiro da empresa e vice-versa, ok? Isso pode impactar demais a saúde do seu negócio e causar sérios prejuízos. Fique ligado!

2. Faça um bom planejamento

Com as despesas pessoais e da empresa separadas, deixe tudo em planilhas distintas e trace o planejamento de receitas e custos. Isso pode ser feito considerando o fluxo de caixa mês a mês.

Quem trabalha como autônomo sabe que a renda pode variar bastante por período. Por isso, um dos principais pontos pra dar atenção quando o assunto é organização financeira é nunca contar com o máximo do seu faturamento. O mais indicado é fazer projeções em cima de um valor menor, o que ajuda a manter seu padrão de consumo, adequando tudo à sua realidade.

Uma boa forma de acompanhar esses gastos é avaliando os seus últimos extratos bancários. Com eles, você pode ter uma boa noção dos seus rendimentos e custos. Depois desse levantamento, a dica é montar um orçamento onde você possa registrar a renda média e os custos fixos mensais.

Para um maior controle financeiro, ainda vale anotar todos os gastos diariamente. Com isso, você pode identificar gargalos e entender pra onde o seu dinheiro está indo.

3. Crie uma reserva financeira

Já dissemos que a variação na renda do autônomo é um dos grandes vilões na organização financeira. Por isso, contar com uma reserva financeira é fundamental pra garantir um capital de giro e equilibrar as finanças.

Essa é a melhor maneira de evitar empréstimos e parcelamentos, que podem gerar o pagamento de multas e juros. Isso compromete o orçamento a médio e longo prazo, interferindo na sua qualidade de vida e até mesmo na sustentabilidade do negócio.

Portanto, além de trabalhar com base no seu menor rendimento, estabelecer uma quantia mensal a ser poupada é fundamental pra garantir a sua reserva de emergência e não comprometer o orçamento. Saiba que essa reserva de emergência é a sua segurança.

4. Aprenda a investir

Colocar o dinheiro em investimentos seguros é a melhor forma de garantir rendimentos passivos. Com regularidade nas aplicações, você ainda pode garantir um futuro mais tranquilo, como a sua aposentadoria. Não é ótimo?

No mercado financeiro você encontra uma grande diversidade de investimentos, e com eles é possível escolher entre várias opções. Assim, você pode dividir o seu dinheiro de acordo com seus objetivos. Pra aumentar os seus resultados, é muito importante ficar atento a questões como prazo, rendimento e liquidez. Estudar mais sobre investimentos dará a você grandes resultados pra suas finanças a longo prazo.

5. Estabeleça metas e objetivos

Quando você estabelece metas e objetivos, fica mais fácil desviar de distrações que podem impedi-lo de alcançar os resultados pretendidos. Pra isso, deixe sempre perto de você imagens e gráficos que mostrem quais são os seus desejos a curto, médio e longo prazo.

Lembre-se de estabelecer datas pra que esses planos sejam realizados e elencar quais os recursos que você precisa pra alcançar os objetivos — materiais e humanos. Caso seja necessário reajustar o plano, não tenha medo. Isso é bastante natural e indispensável pra que você continue caminhando rumo ao sucesso que deseja alcançar, ok?

6. Use ferramentas de controle

Existem vários aplicativos de finanças pessoais que ajudam a registrar as suas despesas e, com isso, ter um maior controle financeiro. No caso das empresas, dependendo do porte do negócio, você ainda pode adotar softwares de gestão que auxiliarão no fluxo de caixa.

O importante é escolher os recursos que melhor atendem às suas necessidades e às da sua empresa, além de manter o controle constante. Assim, fica mais fácil construir um histórico dos gastos e também identificar pra onde o dinheiro está indo — e o que pode ser feito pra economizar.

7. Corte algumas despesas

Analisando as suas finanças com a ajuda de planilhas ou de aplicativos, fica mais fácil compreender como você está gastando o seu dinheiro, e assim, identificar pra onde ele está indo e como reduzir as despesas. Com isso, você consegue economizar pra investir e também montar a sua reserva de emergência.

Como vimos nesta leitura, quando a questão é organização financeira para autônomos, existem alguns desafios, como a possibilidade de variação na renda e a dificuldade de separar o orçamento pessoal e o da empresa.

No entanto, seguindo essas dicas, é possível conquistar um equilíbrio nas finanças, o que proporciona diversas vantagens e uma maior qualidade de vida em todas as áreas da sua vida.

E então? O que você achou deste artigo sobre organização financeira para autônomos? Se ele foi útil pra você, compartilhe agora mesmo em redes sociais pra que mais pessoas possam pensar e aprender sobre o tema!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa